11 de agosto de 2014

News TV, por Marcos Silvério - 11 Ago


Comunicado

Graças aos excelentes serviços prestados pela operadora de telefonia “Oi”, ficamos quinze dias sem acesso à internet banda larga. Por isso, impossibilitados de atualizar a coluna “News TV”. Agora, com o serviço normalizado, voltaremos a publicar notícias com mais frequência. Agrademos a sua compreensão, caro leitor.

Marcos Silvério


"Jornal Nacional" receberá presidenciáveis


Um momento considerado bastante importante nas campanhas políticas, o "Jornal Nacional" começará a fazer suas entrevistas com os candidatos à presidência do país.

Segundo a revista Veja, a ordem vai ser a seguinte: Aécio Neves (PSDB) na próxima segunda-feira (11), Eduardo Campos (PSB) na terça (12), Dilma Rousseff na quarta (13) e Pastor Everaldo (PSC) na quinta (14).

A entrevista irá durar quinze minutos, e serão realizadas pelos apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta. Na maioria das vezes, as sabatinas são de perguntas fortes, incômodas. Para se prepararem, os candidatos costumam não ter agenda nos dias das entrevistas, todas ao vivo, e dedicar-se a intensos media training, para não errar no principal jornais do país.

Nesta semana, o "JN" começou a sua cobertura mais intensa da corrida eleitoral. Em todas as edições, estão sendo dedicados quatro minutos diários para o público saber do dia a dia dos candidatos, além de propostas e viagens.

O "Jornal Nacional", nos últimos tempos, tem marcado médias na casa dos 26 pontos de audiência na Grande São Paulo, sendo a segundo maior Ibope da Globo atualmente.

Fonte: Na Telinha


Elenco do "Tá no Ar" renova com a Globo


Elogiado por público e crítica em sua primeira temporada, a equipe do "Tá no Ar", liderada por Marcelo Adnet e Marcius Melhem, pode trabalhar um pouco mais tranquila a partir de agora.

Segundo o jornal O Globo, todo o elenco do programa teve seu contrato renovado. Com isso, além de Adnet e Melhem, Carol Portes, Danton Mello, Georgiana Góes, Luana Martau, Márcio Vito, Maurício Rizzo, Renata Gaspar, Verônica Debom e Welder Rodrigues seguem como contratados da Globo.

A segunda temporada deve começar a ser gravada em outubro, para ir ao ar na primeira quinzena de janeiro de 2015. A ordem é investir em novos quadros e situações, mas personagens elogiados também voltarão: o militante com sotaque nordestino, interpretado por Adnet, e o "Jardim Urgente" são quadros que tem presença confirmada na segunda temporada da atração.

O "Tá no Ar", em sua primeira edição, marcou médias entre 8 e 10 pontos de média na Grande São Paulo, indo ao ar por volta de meia-noite.

Conforme já noticiado, há o desejo, tanto dos criadores quanto da Globo, de exibir a atração em uma faixa mais adequada, para que mais pessoas possam assistir a segunda temporada.

Fonte: Na Telinha


"Como Será?": conteúdo educativo e atraente


Hoje em dia, quando se fala em programação educativa na TV aberta, o sinônimo é o mesmo de décadas atrás: o "Telecurso". E o conteúdo exibido na atração que abre oficialmente a grade matinal da Globo também.

O próprio "Telecurso" e o fracasso, por exemplo, da TV Brasil, que não sai do traço em audiência, criaram o pensamento coletivo de que a programação dos grandes canais não deve mesmo tomar esse enfoque.

Mas é possível ensinar sem apelar para o didatismo. E é isso que a estreia do “Como Será?” evidenciou neste último sábado (9).

A atração vai ao ar sempre aos sábados entre 6h e 8h, horário que antigamente reunia “Globo Universidade”, “Globo Ecologia”, “Globo Ciência” e “Ação”.

A essência de todos os programas anteriores segue mantida, assim como as equipes. Porém troca-se a limitação de cada um em seu espaço e é criada uma integração maior entre as pautas.

No programa inicial, a explicação da abertura foi sobre o logo escolhido, que é inspirado em um cubo mágico. Segundo a apresentadora Sandra Annenberg, a ideia foi justamente reunir diversas peças.

E o formato está aberto para mais mudanças. Após o programa, Sandra, que mais uma vez mostrou seu talento e potencial para ir além da bancada, conversou com internautas pelo Twitter @comosera e respondeu uma das perguntas do colunista.

Ao ser questionada sobre o modelo da atração, ela respondeu que sempre estará em movimento e dependente da reação do público, porém enfatizou a garantia de espaços fixos para natureza e empreendedorismo, dentre outros.

Além da integração com o público virtual, o melhor uso da própria estrutura da Globo foi destacável. Marisa Orth foi convidada no palco e o correspondente Roberto Kovalick preparou uma reportagem especial sobre alimentação.

Outras boas sacadas foram apresentadas somente em chamada, como a batida pauta sobre escolha da profissão, que agora se tornou uma espécie de reality, em que o estudante experimenta sua opção, a desejada pelos pais e a sugerida por uma orientadora.

Tal como o cubo mágico, que também ganhou matéria nesses quase 120 minutos iniciais, o encaixe das pautas fluiu ao final das contas.

O “Como Será?” se mostra uma grande evolução diante do estilo mais professoral e descuidado do “Globo Cidadania”. Fica a torcida para que o capricho seja mantido com regularidade.

Fonte: Na Telinha


SBT faz sucesso nas redes sociais


Embora se alterne na vice-liderança com a Record e que esteja distante da Globo, que ocupa a liderança folgada no Ibope, o SBT vem tendo êxito na repercussão de seus programas nas redes sociais.
Em relatório divulgado pela Veja, com base na pesquisa da TVSquare, dos cinco segmentos de TV pesquisados, o SBT detém a liderança de quatro.
No ranking geral, por exemplo, o "Bom Dia & Cia" tem 2,74% dos comentários e é o mais falado nas redes. Este número supera o do global "Encontro com Fátima Bernardes" (quarto colocado, com 2,18%) e até mesmo "Eliana", que tem índices no Ibope mais expressivos (oitavo lugar, com 1,86%).
Já no ranking de novelas, "Chiquititas" também lidera com 1,85%. Neste quesito, "Rebelde", "A Feia Mais Bela" e "Café com Aroma de Mulher" ocupam as posições seguintes. Uma novela da Globo só vem a aparecer na quinta colocação - "Geração Brasil". "Malhação", antes sucesso entre adolescentes, aparece em sexto lugar. No entanto, tal posição pertence à reprise da temporada de 2002, que vai ao ar no Viva.
No ramo de seriados, "Chaves" lidera com 2,73%. Já no infantil, "Chiquititas" assume a ponta com 2,74%.
O único segmento em que o SBT não leva a melhor é dos jornais. O "Jornal Nacional" lidera com 1,61%.
Fonte: Na Telinha


Record teria oferecido R$ 500 mil a Felipe Titto


Famoso por ter interpretado um mordomo na novela "Amor à Vida", da Globo, o ator Felipe Titto está na mira da Record.

Segundo o jornal O Dia, a emissora o quer na sétima temporada de "A Fazenda", que estreia no próximo mês.

A direção do reality teria oferecido 500 mil reais, para que ele fique confinado por três meses. Mesmo com a polpuda oferta, a tendência é que Titto recuse o dinheiro, por dois motivos.

O primeiro, é que ele estaria focado na carreira de ator. Segundo, é que ele acha que, participando do reality, poderia perder oportunidades na carreira.

Nesta temporada de "A Fazenda", alguns nomes já estão fechados. Babi Rossi, ex-Panicat e ex-"Muito Show", da RedeTV!, é nome certo. Rebecca Gusmão, ex-nadadora e atual modelo, também está praticamente confirmada.

Ainda não há uma data de estreia definida para a sétima temporada de "A Fazenda", mas já existe um horário: se nada mudar, o reality vai ao ar às 22h15.

Fonte: Na Telinha


Band inicia gravações do "MasterChef"


Com sua estreia prevista para o início do próximo mês na Band, a versão brasileira do "MasterChef", que terá Ana Paula Padrão como apresentadora, começou a ser rodado.

Segundo o jornalista Fernando Oliveira, os 16 participantes já selecionados foram na sede da emissora, no Morumbi, em São Paulo, na última sexta-feira (08) para gravar a vinheta de abertura do programa.

Para escolher os dezesseis, houve uma intensa peneira. No último dia 28, 300 participantes, selecionados entre 5 mil inscritos, estiveram no estacionamento do estádio do Pacaembu. Lá, a produção pediu que todos levassem um prato de degustação de casa. Destes 300, 50 foram selecionados. Os escolhidos então, seguiram para audições com os juízes do reality, os chefes Erick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça. Todos tiveram 45 minutos para cozinhar para os especialistas, que promoveram nova seletiva e escolheram 30 pessoas.

Para chegar aos 16, uma prova de duas partes foi realizada. A primeira foi feita em um galpão, no bairro de Alphaville, e consistia em os aspirantes cortarem cebolas rapidamente, para mostrar habilidade. Pouco depois, os sobreviventes passaram por outra fase: a produção lhes deu um ovo e alguns ingredientes para que um prato fosse criado. Nesse dia, mais sete pessoas deixaram a competição, restando 16 participantes finais.

"MasterChef" deve estrear, se nada mudar, no dia 2 de setembro. O programa deverá ser exibido às terças, ainda não sabendo se no lugar de "O Mundo Segundo os Brasileiros" ou de "A Liga".

Fonte: Na Telinha


TV Gazeta cria núcleo de produção para a internet


A TV Gazeta montou recentemente um novo núcleo de produção, que já está desenvolvendo atrações específicas para a internet envolvendo vários apresentadores da casa. A informação é da coluna Outro Canal.

Uma das estrelas da emissora, Ronnie Von será o primeiro a ganhar uma websérie exclusiva. A ideia é mostrá-lo de maneira mais irreverevente, sem o terno e a gravata da TV.

Já Mamma Bruschetta, do programa "Mulheres", vai virar uma espécie de conselheira virtual. A ideia é ela responder em vídeos bem-humorados na internet as perguntas enviadas pelo público.

A Gazeta também está criando uma série de ficção com humor.

Entratanto, o primeiro programa do núcleo é sobre os bastidores da própria emissora, uma espécie de "Vídeo Show", da Globo.

A apresentadora será Paula Vilhena, que comandou “Deu Paula na TV” e “Cartãozinho Verde” na Cultura. Ela já é conhecida na web, onde atua nos canais "Amada Foca" e "Pode Isso?", além de ter sido responsável pela série "Programa da Charlotte".

Os primeiros vídeos já estão disponíveis no canal da TV Gazeta no YouTube.

Fonte: Na Telinha


Band adquire nova temporada de "Os Simpsons"


Atual coringa da programação da emissora, sendo exibido diariamente a partir das 21h45, o seriado "Os Simpsons" teve sua nova temporada adquirida pela Band.

Ainda no ar pela Fox na TV por assinatura, a emissora do Morumbi se antecipou e comprou junto ao grupo midiático de Rupert Murdoch a vigésima quinta temporada do show.

"Os Simpsons" é uma espécie de alavanca para o horário nobre da emissora. Não raramente, atinge picos de 5 pontos de audiência na Grande São Paulo, entregando bem para os programas da linha de show, como "Polícia 24h" e "CQC".

A Band adquiriu o desenho no ano passado. Ele estava na Globo, onde foi mostrado por muito tempo na "TV Globinho". "Os Simpsons" também teve passagem marcante pelo SBT, onde também era exibido em horário nobre, na faixa entre 18h e 19h.

Desde sua estreia, em 17 de dezembro de 1989, já foram exibidos 552 episódios da animação que satiriza o estilo de vida americano.

A vigésima quinta temporada encerrou-se em 18 de maio de 2014, e a vigésima sexta está prevista para setembro deste ano, sendo o desenho com mais longevidade atualmente.

Fonte: Na Telinha


Reprises rendem ibope a atores


O desequilíbrio em audiência de faixas, como o período vespertino e noturno, somado à concorrência que cada horário possui têm gerado situações curiosas na dramaturgia da TV brasileira envolvendo diretamente Globo, Record e SBT.

São cada vez mais recorrentes os casos em que determinados atores chegam a ser mais vistos em reprises que em produções inéditas, as quais a princípio deveriam chamar mais atenção por não terem seu desenrolar conhecido pelo público.

Na Record, o que deveria ser considerado como exceção, acabou por se tornar regra. Considerando os dados consolidados dos últimos cinco dias úteis (dia 1º de agosto e os dias 04, 05, 06 e 07,  já que os dados de sexta-feira ainda não foram divulgados), nota-se que "José do Egito" foi mais vista que "Vitória" em todos eles.

A média é favorável à reprise em um placar de 6,8 pontos a 5,5. Assim sendo, atores como Ricky Tavares, o José da primeira fase, e Maytê Piragibe, intérprete da Azenate, da segunda, foram mais vistos na reexibição da trama bíblica que na novela inédita.

Tal situação, inclusive, é em parte creditada ao horário de exibição. O confronto de "Vitória" ocorre quase que integralmente contra "Império". Na quarta-feira (06), dia em que a história de Cristianne Fridman disputou com o Futebol, a diferença foi menor - 1,1 ponto, ainda a favor de "José".

Há também casos nesta linha no comparativo com "Esmeralda", que está em cartaz pela terceira vez nas tardes do SBT. A trama mexicana, mesmo na faixa vespertina, tem índices próximos aos de "Vitória". Entre os dias 01 e 07 de agosto, foram 5,5 pontos para a novela da Record ante 4,8 para a do SBT.

No entanto, tal média não livrou a Record de uma derrota no decorrer deste período. No dia 5 de agosto, uma terça-feira, "Esmeralda" alcançou 5,5 pontos contra 5,2 de "Vitória".

Em comum, as duas novelas contam com Lucinha Lins e Paulo César Grande em papéis expressivos. No dia em questão, ambos foram mais vistos na reprise vespertina de "Esmeralda" que na inédita "Vitória".

Por fim, na Globo, tal situação já chegou a ser mais grave no passado mas ainda ocorre com a atual safra de novelas.

No último dia 1º de agosto, por exemplo, a emissora carioca registrou 13,2 pontos com "O Rebu" e 14 com "Malhação", ante 14,1 de "Cobras & Lagartos" e 14,7 do desfecho de "Caras & Bocas".

Sendo assim, Daniel de Oliveira, que é o protagonista de "Cobras & Lagartos", foi mais visto na reprise de João Emanuel Carneiro que no remake do horário nobre, onde vive o Bruno Ferraz - personagem que foi assassinado nos primeiros capítulos.

Fonte: Na Telinha


Tatá Werneck detona o mundo das celebridades


Tatá Werneck falou à revista "Gol Linhas Aéreas Inteligentes" deste mês, sobre o bom momento de sua carreira. Ela vai protagonizar a novela "Lady Marizete" e atualmente faz sucesso com o programa "Tudo pela Audiência", do canal pago "Multishow".

A atriz e apresentadora deixou claro na entrevista que não gosta de ostentar o título de celebridade: "A posição de celebridade te coloca num lugar onde você não pode reagir a algumas coisas. Você tem que estar ali, linda e loira, dizendo: 'são rumores'. É só futilidade, carro e cabelos sedosos".

"Se eu apareço megaemperiquitada, meus próprios colegas falam: 'Hum, a Tatá se vendeu'. Se eu apareço com a minha mecha branca de nascença, a galera do mundo das celebridades fala: 'Hum, a Tatá está descuidada'. Nem é um descuido. Foi uma opção. Às vezes estou a fim de pintar a mecha, às vezes não estou", completou Tatá.

Ainda na entrevista, ela falou sobre a personagem Valdirene, de "Amor à Vida": "Eu achava que o meu humor não era muito popular. Na MTV, a gente fazia uma parada bem crítica e ácida, que não era todo mundo que gostava. Quando fui para a novela, no início houve um estranhamento, mas depois a galera comprou, o que me deixou absolutamente feliz".

Fonte: Na Telinha


Marilyn Monroe ganhará minissérie em 2015


O canal Lifetime está desenvolvendo uma minissérie focada na vida de Marilyn Monroe, informou o Hollywood Reporter.

Intitulada "Marilyn", a atração será baseada no livro "The Secret Life of Marilyn Monroe", do autor J. Randy Taraborrelli. O roteirista Stephen Kronish ("The Kennedys") adaptará a obra para a TV, enquanto Laurie Collyer ("Sherrybaby") assumirá a direção.

Publicada em 2010, a obra biográfica explora a relação da atriz e lenda de Hollywood com a mãe mentalmente instável, doença que também acometeu Marilyn, e ainda seu polêmico relacionamento com os Kennedys.

"Marilyn" não tem previsão para estrear na TV americana.

Além da minissérie, a icônica loira também ganhará uma cinebiografia em 2015, "Blonde", que será estrelada por Jessica Chastain.

Em 2011, Marilyn Monroe já havia servido de inspiração para um filme, "Sete Dias com Marilyn", que rendeu uma indicação ao Oscar para a atriz Michelle Williams.

Fonte: Na Telinha

24 de julho de 2014

News TV, por Marcos Silvério - 24 Jul



> Notícias da TV, por MARCOS SILVÉRIO <


Globo pretende engavetar remakes às 23 horas


Com a produção atual de "O Rebu", que começou a ser exibida na última segunda (14), a Globo pretende encerrar os remakes na faixa das 23h e investir em tramas inéditas.

Segundo o colunista Fernando Oliveira, justamente por causa dessa nova ideia a emissora engavetou três projetos que estavam encaminhados para o horário. Dois deles eram idealizados pela autora Maria Adelaide Amaral, que já escreveu remakes de "Ti Ti Ti" e "Anjo Mau", e mais recentemente a novela "Sangue Bom", juntamente com Vicent Villari.

O primeiro seria um remake de "Que Rei Sou Eu?", trama escrita por Cassiano Gabus Mendes em 1989. O segundo, uma refilmagem da novela "O Semideus", feita por Janete Clair em 1974. Ambos não sairão do papel, pelo menos por enquanto.

Já o outro projeto era de Gilberto Braga, que há vários anos tenta fazer um remake de "Dancin' Days", um de seus maiores sucessos. A ideia já estaria avançada, tendo Camila Pitanga e Gloria Pires definidas como protagonistas. Além disso, o diretor Dennis Carvalho já havia encomendado um estudo de direção de arte para tanto, mas o negócio não andou.

No próximo ano, a faixa das 23h deve ser ocupada por uma trama inédita, escrita por Walcyr Carrasco, que na faixa já fez um remake da novela "Gabriela", em 2012.

Fonte: Na Telinha


"Em Família" chega ao fim e não deixa saudades


A trama da Globo, que não emplacou, chegou ao fim com média de 35 pontos, pico de 40 e participação de 54,3%, segundo dados prévios do Ibope na Grande SP.

No mesmo horário, o SBT ficou em segundo lugar com 5 pontos, seguido por Record com 4, TV Cultura com 2 e Band com 1,5.

Tal audiência foi a pior de um desfecho de novela das 21h em toda a história da Globo.

Para efeito de comparação, sua antecessora, "Amor à Vida", chegou ao fim com 48 pontos, ou seja, 13 pontos a mais que "Em Família". Já "Salve Jorge", de Gloria Perez, terminou com 46.

O último folhetim de Manoel Carlos foi bastante criticado nas redes sociais. Agora, ele pretende se dedicar apenas às séries e minisséries.

Fonte: Na Telinha


Chay Suede é escalado para nova novela


Após o sucesso da sua participação na primeira fase de "Império", onde deu vida ao protagonista José Alfredo, Chay Suede conseguiu garantir sua permanência Globo e já está escalado para mais um projeto na casa.

O ator foi escalado para "Babilônia", a próxima novela das nove da emissora carioca. A história, que será de autoria de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, deve estrear após o Carnaval de 2015 e terá direção de núcleo de Dennis Carvalho.

Com esta escalação, Chay segue a mesma trajetória de Arthur Aguiar e Sophia Abrahão, outros destaques de "Rebelde".

Arthur voltou à Globo no fim do ano passado e atuou na primeira fase de "Em Família". Mesmo com o folhetim de Manoel Carlos ainda em curso, ele foi confirmado como protagonista da nova temporada de "Malhação", que estreou na semana passada.

Já Sophia Abrahão teve "Amor à Vida" como seu primeiro trabalho de retorno à Globo. Na trama de Walcyr Carrasco, deu vida à Natasha e logo após a trama chegar ao fim foi convocada para "Alto Astral". A nova novela substituirá "Geração Brasil" na faixa das 19h.

Fonte: Na Telinha


Nanda Costa terá cenas quentes em "Império"


Em entrevista ao site oficial da novela "Império", Nanda Costa falou sobre sua personagem que estreia nesta quinta (24).

Tuane é uma periguete gananciosa que vai virar a vida de Elivaldo (Rafael Losso) de cabeça para baixo. Ela abandonou o filho ainda bebê e retorna na segunda fase cheia de dinheiro querendo tomar a criança do ex-marido.

Sobre Tuane, Nanda Costa falou: "Ela tem um marido rico e não trabalha. Geralmente, fiz mulheres batalhadoras, guerreiras, que não tinham esse foco. Mas eu fiquei pensando: ela não trabalha? Isso é tão distante pra mim, pois comecei a trabalhar pequenininha. Ainda criança, montei uma escolinha de teatro, ajudava no restaurante da minha mãe e na lojinha da minha avó. Então, não sei o que é ficar dependente".

Tuane tem um relacionamento com Reginaldo (Flávio Galvão) e o jogo de poder marca a relação entre eles: "Ao mesmo tempo em que a Tuane é submissa ao marido em algumas situações, ela sabe que tem um poder sobre ele, que o deixa louco. Um está na mão do outro. A última palavra é a dele, porque ela ama a vida boa que o marido proporciona. E, além disso, o Reginaldo a apóia na luta pelo filho. Tem um amor e respeito ali, mas é um amor pela vida boa que ele dá a ela".

O relacionamento do casal vai proporcionar ao telespectador muitas cenas quentes. A primeira delas já foi gravada e a atriz afirmou que encarou o fato de forma profissional, não tendo pudor com a situação: "Acho que o mais difícil é topar fazer. Uma vez sabendo que a minha personagem é sensual, submissa ao marido, eu topei, então vou fazer. É o pacote. Tenho que ser generosa com minha personagem.O Flávio está me ajudando muito. Aconteceu uma troca muito gostosa. A gente não se conhecia, mas já tem um afeto entre nós".

Fonte: Na Telinha


Lícia Manzo adianta os trabalhos de "Sete Vidas"


Mesmo tendo sua estreia prevista apenas para março de 2015, "Sete Vidas", novela das seis que substituirá "Boogie Oogie", já tem seu texto bastante adiantado. As informações são da coluna Controle Remoto.

A autora Lícia Manzo entregou cerca de 38 capítulos do folhetim, que será protagonizado por Domingos Montagner, à Globo. Tal número representa cerca de 30% da história, que deverá ter aproximadamente 125 capítulos - com variações que podem ocorrer tanto para mais como para menos.

Tal estratégia não costuma ser habitual na Globo. Ainda que às vésperas da estreia, a maioria dos autores dificilmente já ultrapassou a produção do 30º capítulo. Esta margem costuma ser seguida para que se possa mensurar os pontos de aceitação e rejeição do público e adequar a história tendo estes resultados como base.

O único exemplo que fugiu à regra nos últimos anos é o de "Meu Pedacinho de Chão", que ocupa a faixa das 18h atualmente. Todo o texto foi escrito por Benedito Ruy Barbosa antes de o folhetim estrear.

Em tempo: "Sete Vidas" é um projeto original destinado para a faixa das 23h. A Globo, no entanto, optou por mudá-lo para as 18h, o que demandou um trabalho de reformulação da sinopse.

Novos personagens, histórias e readaptação de algumas abordagens tiveram que ser feitas por Lícia, afinal há uma grande diferença no perfil de público dos dois horários. Além disso, o conteúdo que pode ser abordado às 23h é muito mais amplo que o das 18h.

A direção de núcleo de "Sete Vidas" será de Jayme Monjardim, que até esta sexta-feira (18) estava envolvido com "Em Família". Após algumas semanas de descanso, o diretor deverá passar a se dedicar integralmente ao novo folhetim.

Fonte: Na Telinha


Ana Furtado poderá substituir Ana Maria Braga


A Globo ainda está procurando um profissional dentro de seu casting para substituir a apresentadora Ana Maria Braga no "Mais Você" no início de agosto, quando a loira embarcará em viagem para uma série de reportagens.

Segundo o colunista Fernando Oliveira, a emissora carioca cogitou colocar Ana Furtado na atração matinal. Como está sem função fixa, ela tem virado uma espécie de substituita para todos os programas de variedades, já que também substituiu Fátima Bernardes no "Encontro", durante as suas férias.

Porém, ainda não se sabe se ela, de fato, fará o "Mais Você", pois André Marques, conforme anteiormente divulgado, também colocou seu nome dentre os possíveis substitutos.

O que pode pesar contra André, que saiu recentemente da primeira temporada do "SuperStar", é que ele deve ser um dos participantes da próxima edição do "SuperChef", um dos quadros de maior sucesso do programa de Ana Maria Braga. A decisão final da emissora carioca deve sair no fim do mês.

O "Mais Você" marca médias entre 6 e 8 pontos na audiência, e briga diretamente com o "Fala Brasil", da Record, pela liderança na Grande São Paulo.

Fonte: Na Telinha


SBT define novela substituta de "Chiquititas"


O SBT informa oficialmente que a novela “Cúmplices de Um Resgate” foi escolhida pela direção da emissora para substituir “Chiquititas” em 2015. A nova produção de teledramaturgia da emissora de Silvio Santos será adaptada pela autora Iris Abravanel e terá como protagonista a atriz Larissa Manoela, que dará vida a duas personagens que são irmãs gêmeas.

“O nome definitivo que será utilizado para a versão brasileira da novela será comunicado no final deste ano, assim como a data de estreia que será informada num momento oportuno. A trama ocupará a mesma faixa horária de Chiquititas, às 20h30”, informa a assessoria de imprensa do SBT.

Fonte: Fábio TV


Globo divulga participantes da "Dança dos Famosos"


Neste fim de semana, a Globo divulgou a lista completa de participantes da décima primeira edição da "Dança dos Famosos", quadro de maior audiência do "Domingão do Faustão".

O elenco do reality está recheado de estrelas. Entre as mulheres, estão a cantora Anitta, as atrizes Lucélia Santos, Juliana Paiva, Paloma Bernardi, Giovanna Ewbank e Vanessa Gerbelli.

Já os homens são os atores Miele, Anderson Di Rizzi, Bruno Gissoni e Marcello Melo Jr., o ex-jogador de vôlei Giba e o cantor Lucas Lucco.

Todos eles irão participar do "Domingão do Faustão" no próximo dia 27, quando serão apresentados para os telespectadores. Na semana seguinte, no dia 3, começa a competição.

A "Dança dos Famosos" estreou em 2005, quando teve como campeã a atriz Karina Bacchi. Nas edições seguintes, venceram Juliana Didone, Robson Caetano, Rodrigo Hilbert, Christiane Torloni, Paolla Oliveira, Fernanda Souza, Miguel Roncato, Rodrigo Simas e Carol Castro.

Fonte: Na Telinha


Giselle Itié cobrirá férias de Chris Flores


Longe da TV desde "Máscaras" e do especial "O Milagres dos Pássaros", ambos exibidos pela Record em 2012, Giselle Itié terá sua primeira experiência como apresentadora a partir desta segunda-feira (21).

Giselle irá cobrir as férias de Chris Flores no "Hoje em Dia". Durante os próximos nove dias, a atriz dividirá o comando do matinal com Edu Guedes e Celso Zucatelli.

Em seu Instagram, ela divulgou a novidade aos seus seguidores e aproveitou para elogiar Chris: "Estou longe de ter o seu talento (precisamos lembrar que não sou apresentadora), mas prometo fazer o melhor! Boas férias!".

Ainda que este seja um trabalho pontual, Giselle Itié já tem seu regresso à dramaturgia marcado. Ela, que voltaria às telinhas em "Vitória", teve que adiar o retorno devido a um acidente ocorrido durante sua lua de mel. Seu próximo projeto será "Dez Mandamentos", primeira novela bíblica e com estreia prevista para o começo de 2015.

Em tempo: A Record não tem o hábito de movimentar profissionais do RecNov para atividades no artístico, que é sediado em São Paulo. Salvo participações em quadros, que são recorrentes, tal migração não é comum.

Dentre os poucos exemplos existentes, está a mudança do diretor de novelas Ignácio Coqueiro para assumir a direção do "Hora do Faro" neste ano e a saída da atriz Nathalia Guimarães para integrar o time do "Hoje em Dia" em 2010.

Fonte: Na Telinha


Globo prepara série com dramaturgia e animação


A Globo já iniciou a pré-produção de uma série que vai misturar live action com animação.

Junto com a produtora Pródigo Films, a emissora fará "O Vira Lata", trama baseada na história em quadrinhos de Paulo Garfunkel e Libero Malavoglia, que conta a história de um ex-presidiário criado por uma mãe de santo e treinado por um velho samurai, que por honra, uma boa amizade ou um rabo de saia se mete em várias aventuras. A informação é da coluna Outro Canal.

As HQs de “O Vira Lata” já foram usadas pelo médico Dráuzio Varella para ajudar nas campanhas contra a Aids, ensinando regras de sexo seguro nas cadeias. Inclusive, ele poderá fazer uma participação na trama.

O diretor Luiz Fernando Carvalho, que atualmente comanda as gravações da novela "Meu Pedacinho de Chão", é quem levou o projeto para a TV, e já está em busca do protagonista. O ator principal terá que ser mestiço e forte, com aparência do subúrbio paulistano.

"O Vira Lata" contará com 10 episódios, sendo cada um deles composto em 70% por dramaturgia e 30% por animação. As gravações devem começar ainda neste ano e a ideia é fazê-la toda em São Paulo, no centro da cidade e no Capão Redondo.

Fonte: Na Telinha


Taumaturgo Ferreira deixará a Record


Ainda como parte da reestruturação colocada em vigor em seu departamento de dramaturgia, a Record dispensará Taumaturgo Ferreira ainda neste mês. As informações são da coluna Canal 1.

Taumatugo, que chegou à emissora em 2006 e já acumula oito anos dedicados às produções da casa, não terá seu contrato renovado. O compromisso atual se encerra dentro de poucos dias e, a exemplo de vários outros, não será prorrogado.

Esta nova medida de dispensas da Record já atingiu nomes como Leonardo Brício, Nicola Siri, Julianne Trevisol, dentre outros. A ideia é otimizar o orçamento destinado ao casting, contratando os serviços dos atores apenas durante o período em que houver demanda.

Em tempo: Os últimos anos de Taumaturgo Ferreira na Record exemplificam uma situação que a emissora não quer que se repita de agora em diante.

No decorrer dos últimos três anos, o único grande projeto do ator foi "José do Egito", minissérie de 38 capítulos onde deu vida ao Potifar. De lá para cá, sua atuação na casa se limitou a uma rápida participação em um dos episódios de "Milagres de Jesus".
Vale lembrar que a estratégia da Record também vem sendo adotada pela Globo. Ambas, cientes de que não há mais como absorver o mercado por completo, estão priorizando acertos por obra e limitando os contratos fixos a nomes de maior prestígio.

Fonte: Na Telinha


Privilégios da Globo irritam Dunga


O técnico Dunga foi apresentado na manhã desta terça-feira (22) como o novo comandante da Seleção Brasileira, após o fiasco na Copa do Mundo onde o Brasil foi eliminado pela Alemanha na semifinal, perdendo de 7 a 1.

Segundo o jornalista Ricardo Perrone, para voltar a treinar a Seleção (ele foi técnico entre 2006 e 2010), Dunga fez alguns pedidos, que podem ser considerados como exigências.

Ele pediu o fim dos privilégios para alguns membros da imprensa, principalmente a Rede Globo. Para Dunga, ninguém pode falar apenas com um canal, e sim com todos, de preferência em entrevistas coletivas. Na Copa de 2010, a Globo teve vários problemas com o técnico, por causa dos privilégios que era acostumada a ter. O mais emblemático episódio foi quando, em uma entrevista coletiva, Dunga xingou Alex Escobar. O fato fez o "Fantástico" escrever um editorial, rebatendo a grosseria dele nas coletivas. Pouco depois, o técnico pediu desculpas e reconheceu o erro.

Depois que saiu da Seleção, Dunga comandou apenas o Internacional de Porto Alegre, em 2013. Na equipe, venceu o Campeonato Gaúcho mas foi demitido durante o Campeonato Brasileiro. Ele foi criticado por fazer um time de qualidade não jogar bem.

Em tempo - Na coletiva desta terça, como já era esperado, Dunga falou sobre sua relação com a imprensa.

"Sei que eu tenho de melhorar no contato com as pessoas, com os jornalistas. Talvez na primeira passagem pela seleção, por ser oriundo do futebol e por não ter tido experiência anterior como treinador, tenha focado demais dentro de campo. Sobre os resultados dentro de campo eu não preciso falar muito, mas preciso aprimorar meu relacionamento com a imprensa, o que é normal. Essa é a minha mea culpa", disse ele.

Fonte: Na Telinha


Produção inédita do Viva tem data para estrear


Buscando um bom incremento em sua audiência e uma credibilidade maior com o público, o canal Viva, que reprisa atrações antigas da Rede Globo, produziu sua primeira série.

Trata-se de "Meu Amigo Encosto", dos autores Thiago Luciano e Fausto Noro. A produção conta a história de Ivan, que depois de consultar um especialista em paranormalidade, descobre que tem um espírito atrasando sua vida. Sendo assim, terá de se acostumar a conviver com o encosto citado no título.

A equipe de redatores conta ainda com Maria Carmen Barbosa, tradicional parceira de Miguel Falabella em seriados como "Toma Lá, Dá Cá", e Tony Goes, roteirista do "Vídeo Show".

A série faz parte de um projeto de parceria da Globosat com a TV Globo, para otimizar projetos que não vão ao ar na emissora-mãe, por falta de espaço na grade de programação. Outros seriados estão sendo produzidos também neste estilo, como "Animal", que será exibido pelo GNT.

"Meu Amigo Encosto", que já teve sua gravações encerradas e está em fase de pós-produção, tem como protagonistas os atores Danilo Moura e George Sauma. A data de estreia já foi definida: dia 24 de setembro, uma quarta-feira.

Além dos protagonistas, o elenco é composto por Márcia Cabrita, Cadu Fávero, Amanda Richter e Maria Joana.

Fonte: Na Telinha


Lu Grimaldi e Julia Magessi deixam a Record


Seguindo a nova estratégia da Record de esvaziar seu casting no RecNov e passar a contratar atores apenas quando houver demanda para eles, duas novas baixas foram oficializadas nesta semana. As informações são da coluna Canal 1.

Estão de saída as atrizes Lu Grimaldi e Júlia Magessi. Ambas, que estavam em fim de contrato, não tiveram seus vínculos renovados.

Lu Grimaldi deixa a Record após seis anos. Ela chegou em meados de 2008 e teve "Poder Paralelo" como sua primeira novela. Na época, seu papel foi a da Mamma Freda. Atualmente pode ser vista na reprise da temporada 2002 de "Malhação", veiculada no canal Viva.

Já Júlia Magessi estava na Record há nove anos. A atriz, que tem 16, foi uma das revelações de "Prova de Amor", onde interpretou a Nininha. Atuou em "Os Mutantes - Caminhos do Coração" como a mutante Ângela e depois disso só voltou à TV em "Máscaras", encerrada em 2012.

Júlia, inclusive, fazia parte do elenco infanto-juvenil da Record, o qual se esvaziou. Pedro Malta, Sérgio Malheiros e Juliana Xavier, por exemplo, deixaram o canal a medida que cresciam ou que novos papéis paravam de surgir. Letícia Medina segue sendo a única contratada.

Fonte: Na Telinha


GfK faz palestra para o mercado publicitário


Prestes a entrar no mercado de medição de audiência televisiva no Brasil, o instituto alemão GfK teve um importante compromisso na última segunda (21).

Segundo o jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, os membros do instituto por aqui apresentaram o seu projeto para a Associação Brasileira de Anunciantes, buscando que o mercado abrace o GfK e confie nele.

Foram apresentados, principalmente, seus números de confiabilidade fora do país. A palestra agradou bastante, pelo início. Logicamente, ainda não há acordos, já que os anunciantes conheceram o projeto apenas agora, já que este foi o primeiro encontro de outros que ainda ocorrerão.

O GfK já assinou com Record, SBT, Band e RedeTV!. A Globo, por ora, ainda não sinalizou se irá assinar.

Em tempo - As medições do GfK têm previsão de início para abril de 2015, nas cidades e regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro.

Já em julho do ano que vem, a medição será ampliada para o resto do país. Mais de quinze praças deverão ser medidas, e em tempo real, como Salvador, Goiânia, Belém, Belo Horizonte, dentre outras.

Fonte: Na Telinha


Record ainda não desistiu de Ricardo Boechat


Mesmo com a história se encerrando com a opção de Ricardo Boechat por continuar na Band, que lhe deu um aumento de salário, a Record ainda não desistiu do jornalista.

Segundo a coluna Canal 1, a história, que pelo canal do Morumbi é considerada como encerrada, ainda não terminou para a emissora de Edir Macedo. A sua direção de jornalismo insiste em ter o âncora em seus quadros e à frente de um novo jornal previsto para o começo das madrugadas.

Com o aumento conquistado por Boechat e com sua situação na Band considerada estável, sabe-se que uma eventual mudança não seja tão imediata. No entanto, o canal deve insistir ainda mais para acertar sua contratação.

Em tempo: A insistência da Record por Ricardo Boechat atende aos resultados de uma pesquisa feita no decorrer das últimas semanas. O nome do jornalista despontou como um dos mais bem aceitos para o comando de um jornal, reunindo credibilidade e apoio do mercado publicitário.

Tal pesquisa foi feita nos mesmos moldes de uma outra que em 2013 deu respaldo para a Record sondar e contratar Sabrina Sato, que está à frente do "Programa da Sabrina", com bons índices de audiência e alto faturamento.

Fonte: Na Telinha


Sandra Annenberg comenta sobre seu novo programa


Apresentadora do "Jornal Hoje" na Globo, Sandra Annenberg falou sobre o seu novo programa na emissora carioca, o "Como Será?", que substituirá o "Globo Cidadania" nas manhãs de sábado.

Em entrevista para o site do jornal Folha de São Paulo, a jornalista disse que sua vida está bem corrida. Além do "JH", ela tem tido gravações da nova atração às quintas, e reunião de pauta nas segundas.

O programa deve manter o foco do antigo: informações sobre sustentabilidade, educação, entretenimento, teatro, dentre outras coisas.

Sandra Annenberg disse que nunca planejou muito o que fazer na carreira: "Tudo o que eu penso agora é em me dedicar ao que estou fazendo, as coisas vão surgindo na minha vida e eu nunca pensei muito no que fazer. Eu só sei que gostaria de fazer algo com educação".

A apresentadora afirmou que sua rotina é, sim, atribulada, como a de todos. Além disso, ela está considerando o "Como Será?" um hobby: "Esse programa é um respiro para mim em meio à loucura do 'hard news'. De segunda a sexta, eu exercito meu lado 'hard news', mais pesado. Mas tem um momento que eu preciso parar para pensar no futuro, sentir o movimento do mundo e das pessoas que vivem ao meu redor, e eu nem sei quem são, mas quero que evoluam".

O "Como Será?" estreia no dia 9 de agosto, e irá ao ar das 6h às 8h. A atração também terá reprise no canal Futura, emissora educativa da Globosat, todos os domingos, às 6 da manhã e às 15h.

Fonte: Na Telinha


Galvão Bueno promete lançar livro de memórias


Considerado o principal locutor esportivo do Brasil, Galvão Bueno falou sobre sua carreira, polêmicas e sobre ter desistido da aposentadoria.

Em entrevista para a revista Veja, Galvão disse que nunca precisou "babar ovo" de ninguém e não concordou com as críticas que sofreu, por ter elogiado Felipão durante todo o Mundial e na eliminação o criticar ferrenhamente: "Desde o primeiro jogo desta Copa, o Casagrande, o Ronaldo e eu sempre fizemos críticas à forma como a seleção estava jogando. Eu disse, em alguns momentos, que o trabalho do Felipão era coerente. Mas em momento algum elogiamos a seleção nem dissemos que era uma maravilha. Entre as muitas coisas que aprendi com o Armando Nogueira é que devemos elogiar sem bajular e criticar sem ofender. Eu pauto a minha vida com base nisso. Nunca fiz uma crítica que carregasse ofensa pessoal. E nunca fiquei babando ovo para ninguém".

Galvão explicou o porquê de ter desistido de se aposentar, falando que não se via em uma Copa após a do Brasil, quando fez o seu famoso discurso ao fim do Mundial de 2010: "O que eu disse foi que não me via fazendo outra Copa do Mundo fora do Brasil. E naquele momento não me via mesmo. Mas a vida é dinâmica. Não se esqueça de que nós tivemos uma mudança de gestão na Rede Globo, muito relacionada à minha área. Eu me sinto extremamente feliz hoje trabalhando. É um novo desafio. Foram me propostas coisas novas. Cheguei à conclusão de que é o que eu gosto de fazer, o que sei fazer, é onde eu realmente me realizo. E tem uma história de quarenta anos. Enquanto me sentir bem, com saúde e em condições de fazer o trabalho, e a Globo entender que eu sou importante nesse trabalho, vou ficar. Tenho contrato até depois da Copa de 2018. Então, voltei atrás, sim. Não tenho motivos para parar agora. Então, por que parar?".

O narrador também elogiou a sua companheira em vários dias de cobertura, a apresentadora do "Jornal Nacional", Patrícia Poeta: "ela foi muitíssimo bem, se preparou intensamente para ter domínio sobre o assunto e conseguimos fazer um contraponto da notícia com a opinião. Por isso, inclusive, o nosso espaço no telejornal foi aumentando. Já fui lá dar um abraço no William Bonner, porque o editor-chefe do jornal, quem pagina o jornal, é ele. E o Bonner nos deu espaço".

Por fim, Galvão Bueno falou que lançará um livro de memórias em breve: "Nestes quarenta anos de carreira convivi com todos os grandes personagens do esporte brasileiro. Então, conto minhas histórias com Pelé, Ayrton Senna, Nelson Piquet, Fittipaldi, Rivellino, Zico...".

Fonte: Na Telinha


"Em Família": os motivos para o fracasso


“Em Família” chega ao fim com a audiência mais baixa da história no horário das 21h da Globo: 29 pontos de média geral e 35 no último capítulo, segundo dados prévios do Ibope na Grande SP. E não foi à toa.

O autor Manoel Carlos, que é conhecido por sempre inserir bons diálogos, conflitos e Bossa Nova nas suas tramas sem a presença de um didatismo pueril ou pieguice, sempre construiu personagens humanos, e acabou se despedindo das telenovelas com um produto que não vai deixar saudades.

Quem se acostumou com histórias de ritmos alucinantes, personagens caricatos e características extremistas dos personagens, certamente é um pouco avesso às obras de Manoel Carlos, que é caracterizado por escrevê-los de uma maneira que ninguém seja mau ou bom na sua plenitude. Aliás, a falta de vilões (ou a de heróis) sempre foi alvo de reclamações de grande parte dos fãs de telenovelas e é uma das razões para se explicar o fracasso colossal que “Em Família” se tornou.

Maneco tinha uma boa sinopse na mão. Uma história atraente, que poderia seduzir o telespectador. Na espinha dorsal, um amor eterno entre primos que não se cumpre graças ao ciúme doentio de Laerte (Guilherme Leicam), que, numa briga com Virgílio (Nando Rodrigues) e num ato de fúria e impensado, acaba por enterrá-lo vivo, o que comprometeu seu casamento com Helena (Bruna Marquezine) e saiu diretamente do altar para a cadeia, acusado de tentativa de homicídio.

Helena (Júlia Lemmertz) e Virgílio (Humberto Martins), então, se casaram. 20 anos depois, Luiza (Bruna Marquezine), filha do casal, se apaixonaria pelo homem da vida de sua mãe, que desgraçou sua família naquela época.


Esse é um ponto de partida bastante interessante, e parte do pressuposto de que o autor conseguiria, com toda sua experiência, conduzir a trama da melhor maneira possível. Coisa que não aconteceu. Mas, vamos por partes.

A começar pela escalação dos atores na terceira e última fase de “Em Família”, que foram inverossímeis. Não é nada crível escalarem Natália do Vale como mãe de Júlia Lemmertz tendo apenas 10 anos de diferença (61 e 51 anos, respectivamente). Enquanto isso, Humberto Martins, esposo de Júlia na trama, tem 53 e Gabriel Braga Nunes, o escolhido para dar continuidade à Laerte, com apenas 42. Idades contrastantes. Incrédulo.

Como Laerte envelheceu tão menos que Virgílio e Helena? A explicação mais plausível seria de que seu personagem envelheceu menos que os outros dois, porque ele supostamente sofreu menos. Ainda assim, não explica tamanho contraste.

Com o desenrolar da novela, a paixão de Luiza e Laerte foi ganhando corpo até chegar ao ponto que não puderam mais esconder o que estava acontecendo. E é aí que o folhetim se perdeu completamente, num show beirando o insuportável com diálogos repetitivos à exaustão protagonizados por Luiza, Virgílio, Helena e Laerte. Os conflitos eram os mesmos, as falas, reclamações, frases feitas... Isso é compreensível numa telenovela com 8 ou 9 meses de exibição (quando ganha aquilo que chamamos de ‘barriga’), mas numa obra com apenas 5 meses e tendo Manoel Carlos como escritor, sinceramente, é algo inaceitável.

Maneco deu uma entrevista recentemente ao jornal O Dia e se demonstrou desinformado sobre algumas questões como: a audiência que “Em Família” perdeu no horário das 21h e a rejeição do casal Clara (Giovanna Antonelli) e Marina (Tainá Müller). Não sei se o novelista vive numa bolha, se realmente não sabia de nada, mentiu por algum motivo na entrevista, ou não deu trela para as críticas, porque essas duas questões foram amplamente noticiadas nos meios de comunicação, e a rejeição do casal lésbico tomou conta das redes sociais e do público da novela.

A rejeição do casal lésbico - Enquanto em “Amor à Vida” o público torcia por um beijo gay no final entre Mateus Solano e Thiago Fragoso, o mesmo não aconteceu agora porque são duas histórias completamente diferentes.

Clara tinha um marido com uma doença no coração e um filho. Formavam aquelas famílias de comercial de margarina, até que chegou Marina e bagunçou tudo. Muitos pegaram birra e a viam como uma destruidora de lares. Mesmo diante dos comentários negativos, Manoel Carlos fechou os olhos e as duas terminaram juntas.

O ex-marido de Clara, no entanto, se deu bem, aceitando demoradamente (mas aceitando) a condição dela e ficando com Verônica (Helena Ranaldi).

Ausência de humor - Toda boa novela é farta de um núcleo cômico eficiente. “Em Família” teve na Casa de Repouso, entre os moradores da melhor idade uma boa válvula de escape, mas o autor não soube aproveitar e fizeram apenas figuração, com passagens não muito empolgantes. Hora ou outra alguma coisinha, mas nada realmente que possa ser destacado por aquelas bandas.

Shirley (Viviane Pasmanter) era vista também com grande potencial para dar um toque de humor à trama com seu estilo debochado e perverso. Não aconteceu.


Vilões em potencial - Shirley, além de postulante ao núcleo cômico, também era cotada para começar a aprontar todas, o que também não aconteceu. Ficou naquele vai não vai, e acabou não fazendo nada pelo seu grande amor, ao não ser proferir meia dúzia de frases de efeito que nada resultavam.

Branca (Ângela Vieira) talvez tenha sido quem mais se aproximou do título de vilão. Aprontou algumas para seu ex-marido Ricardo (Herson Capri). Quando as coisas estavam começando a ficar empolgantes, ela recuou e desistiu, desapontando todos aqueles que curtem um bom vilão.

Banalização - Confesso que uma história paralela me chamou bastante atenção: a forma com que Alice (Érika Januza) entrou na polícia. Tudo sem a menor burocracia e de forma rápida. Num curto espaço de tempo, já estava tendo experiências em operações policiais de alto risco. O que dizer?

Buraco - O folhetim teve um buraco um tanto quanto curioso. Antes da Copa do Mundo começar, os alunos do Galpão Cultural discutiam sobre a possibilidade de Laerte colocar telões para assistirem aos jogos por lá. Capítulos depois passaram-se meses, Juliana (Vanessa Gerbelli) ficou com barriga e a Copa do Mundo ainda não havia terminado na novela.


O que deu certo? - Dá para se destacar o bom núcleo de Juliana e seus “dois maridos”, Nando (Leonardo Medeiros) e Jairo (Marcelo Mello Jr.). A luta de Juliana para ter a guarda de Bia (Bruna Faria) foi envolvente e roubou a cena. A personagem assumiu o papel de protagonista e foi, sem dúvida, o ponto alto da trama.

Falando da menina Bia, não entendi até agora como ela passou nos testes da Globo. Por vezes tive a impressão que ela era muda, tamanha sua apatia. Teve poucas palavras e expressões na novela. Provavelmente uma boneca poderia representar a sua personagem sem problema algum.

Em contrapartida, diante de uma atriz mirim inexpressiva, tivemos como oposto o promissor Vitor Figueiredo, intérprete de Ivan. O garoto tem jeito pra coisa. Extrovertido, desinibido e cativante. Fez as cenas dramáticas no tom certo com alto teor de veracidade.

Alcoolismo - Manoel Carlos sempre coloca em suas tramas problemas da sociedade. Mas, de uma forma inédita (quanta criatividade), ele trouxe o alcoolismo para mais uma de suas obras. Assunto tratado em seus últimos folhetins: “Viver a Vida” (2009), “Páginas da Vida” (2006) e “Mulheres Apaixonadas” (2003).

A história de Felipe (Thiago Mendonça) não se desenvolveu e não saiu como o esperado. A quantidade de histórias paralelas fez Maneco se perder nas páginas do roteiro e o alcoolismo ficou sem norte e não rendeu o que se esperava.

Sem classificação - Fico na dúvida se considero o problema de Selma (Ana Beatriz Nogueira), mãe de Laerte, como um drama ou comédia. Com surtos de cleptomaníaca, um possível princípio de Mal de Alzheimer, e falando com gente que já morreu (Itamar, seu falecido marido), não há como diagnosticá-la. Teve bons momentos, mas é mais um dos assuntos que o autor não soube tratar.

Aliás, Ana Beatriz Nogueira tem 46 anos, mais velha que a ex-mulher de seu filho, Helena Ranaldi, com 48. Mas é claro, não temos que nos apegar à idade, já disse Manoel Carlos. Mas fica registrado a título de curiosidade.


Assassinato de Laerte: surpresa e surrealismo - Agora chegou a vez de falar da grande “surpresa” do desfecho de “Em Família”.

O grande “choque” veio com a notícia de que Lívia (Louise D’Tuani) mataria Laerte. Não há alguma explicação verdadeiramente convincente que me faça acreditar neste roteiro. Barbárie.

Lívia beijou Laerte duas vezes, e embora sempre tenha dito o quanto era difícil ficar ao lado do flautista por ser uma paixão não correspondida, nada justifica o devaneio do autor em colocá-la como assassina. Quase todos os outros personagens da novela teriam mais motivos pra matá-lo.

Sem saber o que fazer com a história em mãos, Manoel Carlos optou por um desfecho pouco provável fugindo do entendimento de quem assistiu à novela. Se essa foi sua intenção, deixar o telespectador confuso ou irritado... Conseguiu.

Falta de criatividade - Em suas novelas, Manoel Carlos geralmente opta por fins óbvios com seus personagens, e “Em Família” não fugiu à regra. A maestria que tem normalmente para desenvolver histórias, o mesmo não se pode dizer na hora de terminá-las. É todo mundo casando e tendo filhos felizes para sempre... Poucas surpresas.

Apesar dos pesares, de um folhetim repleto de falhas na sua condução e por muitas vezes repetitivo, nada vai apagar a história de Manoel Carlos na televisão, que foi dono de tramas memoráveis e inesquecíveis.

Fonte: Na Telinha

______

Ficamos por aqui, de olho na telinha.

Twitter: @bysilver_br
Oferecimento: Arte Final Gráfica
-